Tempo da Disney – 8ª Edição

null

Olá caros amigos da Disney! Chegou mais uma edição do Tempo da Disney. E o que significa isto? Ora bem, mais um filme, mais curiosidades, mais conhecimento! Vem descobrir o que te reserva “Música, Maestro!”.

 

Pois bem, como já sabes, o filme que te acompanhará nesta nova edição da rubrica Tempo da Disney é Música Maestro (Make Mine Music na versão original). Este é, muito provavelmente, um filme desconhecido da maioria das pessoas. Trata-se da 8ª longa-metragem produzida pelos estúdios de Walt Disney em 1949. É uma história simples, ou melhor, um conjunto de histórias (dez ao todo), sem um seguimento propriamente coerente, ou seja, não estão interligadas.

 

Como se calhar já reparaste, os três últimos filmes apresentados na rubrica Tempo da Disney são compostos por um conjunto de histórias, e não por somente uma história isolada, como tinha acontecido até então. Descobre porquê: na altura, a economia mundial estava bastante fragilizada devido à 2ª Guerra Mundial. Esta falta de recursos levou a que os estúdios não tivessem meios para produzir uma história alongada. A solução para que o trabalho não cessasse era produzir histórias curtas que, conjugadas, formassem uma longa-metragem.

 

null

 

A verdade é que, apesar dos esforços, o filme não obteve muito sucesso, e muito menos críticas favoráveis. De facto, o próprio Walt Disney foi dos primeiros a admitir que o resultado tinha ficado muito aquém das expectativas. De modo a não ficarem com prejuízos, os segmentos acabaram por dar origem ou a curtas-metragens, ou foram utilizados em programas de televisão da Disney.

 

Alguns segmentos contam com particularidades realmente curiosas! O primeiro segmento, intitulado de “The King’s Men” acabou por ser, anos mais tarde, excluído, devido ao humor negro de guerra. “Blue Bayou”, o segundo segmento conta com cenas de animação que foram originalmente feitas com o intuito de integrarem o filme Fantasia, lançado anos antes. O sexto segmento, “ Two Silhouettes, é composto por uma conjugação – os bailarinos live-action, ou seja, pessoas mesmo, dançam num cenário feito por animação. O décimo, e último, segmento, “The Wale Who Wanted To Sing At The Met”, tem a particularidade de ter a mesma pessoa – Nelson Eddy – a fazer as vozes de todas as personagens.

 

 

Vê ainda as curiosas traduções dos títulos em outras línguas:

 

Holanda: Maak de Muziek van de Mijn

Finlândia: Iskelmäparaati

França: La Boîte à Musique

Alemanha: Mach Mir Musik

Itália: Musica Maestro!

Brasil: Música, Maestro!

Espanha: Musica Maestro

América Latina: de La Cajita Musical

Suécia: Spela för mej (também teve o título de Spela för mig)

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: